Universidade de Coimbra desenvolve material que pode substituir o plástico

Investigadores da Universidade de Coimbra desenvolveram, a partir de nanocelulose combinada com um mineral fibroso, um substituto biodegradável do plástico.

Segundo o comunicado da Universidade de Coimbra, o novo material foi desenvolvido em parceria com o Instituto Politécnico de Tomar (IPT) e a Universidade da Beira Interior (UBI), contando também com a colaboração da empresa espanhola TOLSA.

De acordo com os dois investigadores do Centro de Investigação em Engenharia dos Processos Químicos e dos Produtos da Floresta (CIEPQPF), José Gamelas e Luís Alves, da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCTUC), “a grande inovação” deste novo substituto do plástico é o uso de minerais fibrosos, que não têm qualquer risco para a saúde, e também a preparação dos filmes por filtração, o que acelera muito o processo de produção”. Esta investigação foi desenvolvida no âmbito do projeto “FilCNF: Nova geração de filmes compósitos de nanofibrilas de celulose e partículas minerais como materiais de elevada resistência mecânica e propriedades de barreira a gases,  financiado em 190 mil euros pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.