Rui Costa inaugurou nova sede da Casa do Benfica da Figueira da Foz

Rui Costa, presidente do Benfica, marcou presença na Figueira da Foz, no dia 31 de outubro, para a inauguração da nova sede da Casa do Benfica da Figueira da Foz, situada na Rua dos Bombeiros Voluntários, coletividade local, presidida, por Hermenegildo Neto. Antes da inauguração, a comitiva encarnada que integrou o vice-presidente Domingos Almeida Lima e vários antigos jogadores do clube encarnado, sendo os casos de Shéu, António Veloso, Paulo Madeira, Alberto Fonseca, Valdo, Pedro Mantorras, Diamantino, Pedro Valido e Paulo Santos, foi recebida, no Salão Nobre dos Paços do Concelho da Figueira da Foz, tendo Rui Costa começado por agradecer, ao presidente da autarquia figueirense, Pedro Santana Lopes, a receção, na Figueira da Foz e as palavras de boas vindas, que o autarca dirigiu à sua pessoa e ao clube.

Rui Costa disse, em seguida, que “não é de facto o melhor dos dias, e não é só, pela chuva”, referindo-se à perda da liderança no campeonato, no dia anterior, após empate com o Estoril, “todos nós estamos um bocadinho cabisbaixos, mas faz parte da nossa profissão, do nosso clubismo, vai ao encontro das emoções, que não consigo esconder, nem nunca vou conseguir esconder, o que estou a sentir, quando estou a ver o meu clube. Não vou mudar, a minha essência e a forma de estar no desporto, foi sempre uma, foi sempre, pela lealdade, e hoje, enquanto, presidente do Benfica não irei alterar nada, daquilo que foi o meu crescimento e a minha essência. Agradeço, também, todo o contributo que a Câmara Municipal tem dado, à Casa do Benfica da Figueira da Foz”.

Antes, o autarca Pedro Santana Lopes que já foi presidente do Sporting, começou por enaltecer o trabalho do presidente da Casa do Benfica da Figueira da Foz, pela “aposta no associativismo vivo e por manterem viva aqui, a chama do clube, o que para a Figueira da Foz é muito importante”. Em seguida Santana Lopes dirigindo-se, a Rui Costa, destacou as suas qualidades humanas, desde logo, pelo “facto de não ter vergonha de não esconder, aquelas que são as suas emoções“, relembrando, o histórico jogo que o ex-jogador fez ao serviço do clube italiano Fiorentina, no qual, marcou um golo, ao Benfica, e na altura, se “desfez, em lágrimas”.

Já no uso da palavra, durante, a realização do almoço que decorreu, no restaurante da Quinta da Salmanha, com a presença de muitos benfiquistas figueirenses, Rui Costa assumiu, que a votação da próxima revisão dos estatutos do clube “não deve ser limitada, aos cerca de 0,5% de sócios que costumam participar nas assembleias-gerais”, pelo que pediu aos benfiquistas, uma adesão massiva, para “o documento ser discutido e aprovado, pelo maior número de associados possível”.

Rui Costa recordou que os atuais estatutos estão “em vigor, há mais de 10 anos, pelo que, é natural, que em muitas matérias, não estejam alinhados com a realidade dos tempos atuais e com as expectativas dos sócios benfiquistas”.

De referir que a Casa do Benfica da Figueira da Foz é a 49ª de um total das 299 existentes, no país e no resto do mundo.

Texto/imagens: Fernando Dias/Cátia Luís

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.