Empresários da Região de Coimbra exigem medidas urgentes do Governo para atenuar custos com energia

O Conselho Empresarial da Região de Coimbra, constituído, por 13 associações empresariais, exige medidas, imediatas, para atenuar, os atuais custos energéticos.

Segundo o Conselho Empresarial da Região de Coimbra, faz saber, em comunicado, as 13 Associações Empresariais, “têm sido inundadas, com manifestações de desagrado e preocupação, por parte, dos seus associados, por esta subida exponencial, no custo da eletricidade, a qual, associada, ao já elevado custo dos combustíveis, pode, pôr em causa, a competitividade das empresas e, por consequência, a tão desejada e aclamada retoma económica, uma vez que, estes aumentos, estão a tornar-se insuportáveis e insustentáveis, para alguns setores de atividade, os quais, na sua maioria, ainda, estão a tentar recuperar das consequências da pandemia covid-19”.

O Conselho Empresarial da Região de Coimbra, “exige medidas imediatas, por parte, das entidades governativas responsáveis, pelo setor da energia, ao desagrado e às preocupações do tecido empresarial, que aqui, é constituído, na sua maioria, por pequenas e médias empresas”.

De referir que, o Conselho Empresarial da Região de Coimbra é composto pelas seguintes associação:

Associação Comercial e Industrial da Bairrada e Aguieira; Associação Comercial e Industrial da Figueira da Foz; Associação de Desenvolvimento Empresarial de Condeixa; Agência de Desenvolvimento Integrado Tábua e Oliveira do Hospital; Associação Empresarial de Cantanhede; Associação Empresarial de Poiares; Associação Empresarial de Mira; Associação Empresarial da Pampilhosa da Serra; Associação Empresarial de Soure (que tem sido representada, nos encontros, para debater esta questão, por Carlos Cordeiro, presidente da Direção da AES); Associação Empresarial Serra da Lousã; Agência para a Promoção da Baixa de Coimbra; Clube de Empresários de Miranda do Corvo e Núcleo Empresarial de Penela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.