Santana Lopes fica com 12 pelouros mas não afasta oposição

Carlos Monteiro do PS e Ricardo Silva do PSD mostraram-se indisponíveis para assumir qualquer cargo.

Realizou-se, ontem, dia 26, a primeira reunião de câmara, do mandato de Pedro Santana Lopes, tendo, na mesma, sido atribuídos, pelo executivo camarário, 12 pelouros, ao atual presidente da Câmara da Figueira da Foz.

Os pelouros do atual presidente são: Planeamento, Ordenamento do Território, Urbanismo, Projetos e Obras Estruturantes, Ambiente, Cultura, Desporto, Juventude, Turismo e Desenvolvimento Económico, Proteção Civil e Bombeiros, Serviço das Tenologias de Informação e Comunicação e Assuntos Jurídicos e Contencioso.

A vereadora Anabela Tabaçó ficará responsável pelos pelouros das Finanças e Orçamento, Setor Empresarial Local, Modernização Administrativa, Recursos Humanos e coadjuvação do presidente nas questões de Desenvolvimento Económico, tendo Olga Brás, ficado com os Assuntos Sociais, Coletividades, Saúde e Educação e Formação Profissional.

Com o segundo maior número de “pastas”, ficou, Manuel Domingues, agora encarregado das Obras Municipais, Trânsito, Cemitérios, Taxas e Licenças, Serviço Veterinário Municipal, Mercados e Feiras, Serviço de Toponímia, Relações Correntes com as Juntas de Freguesia e Espaços Verdes.

Em declarações, Pedro Santana Lopes disse que preencher o cargo da vice-presidência “não é uma prioridade”. Por outro lado, o presidente mostrou-se disponível para distribuir pelouros pelos vereadores da oposição e lugares na futura administração da empresa municipal Figueira Domus.

O atual presidente adiantou ainda que na próxima reunião de câmara, irá apresentar as linhas mestras o Orçamento do Município de 2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.